Contato: (11) 9.9609.7337 | 3427.1145 | elimar@elimarconsult.com.br

O Maior Comprador do mundo (volume II)

CAPÍTULO VIII
Otimização das Compras da Classe C


– Agora são 8:30 horas, temos tempo suficiente para irmos discutindo ao menos a próxima Meta, que é: Otimizar as Compras da Classe “C” de materiais.

- Certo, Chefe. No nosso Plano de Ação referente ao Volume de Compras, tínhamos afirmado que deveríamos rever as políticas de aquisição dos itens da classe “C” de materiais. E como eu fiquei incumbido de iniciar o trabalho, gostaria de apresentá-lo a vocês. Disse David.

- Tudo bem, David. Vá em frente.

- De fato vocês tinham razão. Eu analisei o Volume de Compras dos materiais da classe “C” e a política de compras está completamente equivocada. Afirmou David.

- Porque David? Perguntou Jair.

- Atualmente o almoxarifado tinha instruções para emitir as requisições dos materiais que atingissem o ponto de ressuprimento. E eles vinham executando essa determinação. Entretanto, o que eu não havia pensado é que as requisições iam “pingando” e repetindo os mesmos itens todos os dias. Em resumo, os compradores vem comprando itens do mesmo grupo de materiais todos os dias. Devo reconhecer que deve ser uma loucura esse volume de compras. Imagine você, que o comprador deve fazer 3 ou 4 cotações de preços para cada requisição que chega, por determinação do nosso manual de procedimentos, e…. Estava dizendo David, quando foi interrompido por Jair.

- Desculpe interromper, David. E para que os compradores consigam 3 a 4 cotações, eles precisam fazer em média de 6 a 8 ligações telefônicas.

- Porque, Jair? Perguntou David.

- Pelo fato que nem sempre os fornecedores tem o material a ser cotado; ora por falta de estoque, ora porque não trabalham com aquele item, ou ainda porque não vendem a marca que queremos, etc….

- Então a coisa está bem pior que eu imaginava. Considerando que temos um grande número de itens sendo solicitados todos os dias, que são repetitivos e tendo que consultar em média 7 ligações para obter 3 a 4 cotações, a produtividade do setor de Compras Improdutivas cai substancialmente.

- E o desgaste da equipe reflete no cansaço e no tratamento aos clientes internos. Disse Jair.

- Agora entendi a gravidade do problema. Disse David.

- E tem mais. Alguns compradores tentam contornar este problema da seguinte forma: Vão represando as requisições da semana, e aí processam a compra por grupos de materiais.

- Mas agindo assim, podem cometer erros. Disse David.

- Porque, David? Perguntou Jair.

- Porque poderão agrupar itens com “lead times” diferentes. De repente podem ter itens com prazos emergenciais no meio de outros com prazos normais; e que nem sempre constam de informação que são emergentes.

- Caramba! Eu não tinha pensado nisso Disse Jair.

- E o que faremos então, David? Perguntei.

- A conclusão a que cheguei é a seguinte…